Escolas de SP começam a aplicar prova do Saeb nesta segunda-feira (22)

Avaliação contribui na elaboração e aprimoramento de políticas educacionais, além de fortalecer ações pedagógicas para a garantia da aprendizagem e compor o Ideb

A partir da próxima segunda-feira (22), os estudantes do 5º e 9º anos do ensino fundamental e da 3ª série do ensino médio da rede estadual de São Paulo participam de mais uma edição do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). A prova, que ocorre a cada dois anos, será aplicada até 10 de dezembro, conforme agendamento prévio realizado pela Fundação Cesgranrio com cada unidade escolar.

Realizado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), o Saeb, através de questões objetivas e um questionário socioeconômico, avalia conhecimentos nos componentes de Língua Portuguesa e Matemática para diagnosticar a qualidade da educação oferecida pelas escolas e as redes de ensino de todo o Brasil.

A partir desses resultados, é gerado o Ideb (Índice de Desempenho da Educação Básica), que varia de 0 a 10, considerando a taxa de fluxo escolar (aprovação) e as médias de desempenho no Saeb. Para que as escolas tenham os resultados publicados no Ideb, é necessário que pelo menos 80% dos alunos, declarados no Censo de Educação Básica 2021, realizem a prova. Atualmente, somando os três anos envolvidos na avaliação, são mais de 800 mil estudantes matriculados na rede estadual.

O Secretário da Educação do Estado, Rossieli Soares, ressalta que a avaliação contribui para aprimorar políticas educacionais, além de fortalecer, com base em evidências, ações pedagógicas para a garantia da aprendizagem. “Ao identificar o que os estudantes já sabem e o que precisam aprender, o Saeb contribui para direcionar o trabalho das escolas para garantir a aprendizagem de todos os estudantes. Da perspectiva estudantil, especialmente aqueles que estão no último ano de uma etapa, é uma oportunidade para deixar um legado para sua escola. Uma marca que registra o quanto eles aprenderam e que servirá como norte às novas gerações que virão”, analisa.

Neste ano, assim como na edição de 2019, uma amostra de estudantes do 2º e 9º anos do ensino fundamental também será avaliada em Língua Portuguesa e Matemática, e Ciências da Natureza e Ciências Humanas, respectivamente. A amostra, de acordo com a Coordenadoria Pedagógica da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP), atua na construção de escalas de proficiência mais abrangentes e alinhadas à Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Bonificação por resultados ocorrerá a partir do Ideb 2021

Pela primeira vez, a fórmula de cálculo da Bonificação por Resultados adotada pela  Seduc-SP vai considerar o Ideb, o principal indicador de qualidade da educação básica do país. Até 2019, o Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp) era utilizado. Além do Ideb, o nível socioeconômico da escola será considerado. “Mais um motivo para que os estudantes sejam mobilizados para o Saeb. A bonificação é fruto do trabalho colaborativo entre as equipes das escolas, Diretorias de Ensino e órgão central para incentivar nossos servidores a trabalharem para garantir a aprendizagem de todos os estudantes, principalmente aqueles que atuam em regiões mais vulneráveis”, conta Rossieli.

Liderança da rede paulista

Em 2019, a rede de São Paulo cresceu em todas as etapas do Ideb, liderando nacionalmente entre os Anos Iniciais, com 6,7 pontos, e Anos Finais, com 5,5. Na rede estadual, o maior desempenho foi notado no ensino médio, que saltou de 3,8, em 2017, para 4,3, em 2019, registrando o maior crescimento da história das escolas estaduais neste ciclo de ensino. A edição contou com a participação de, aproximadamente, 627 mil estudantes, sendo 120 mil do 5º ano, 277,2 mil do 9º ano e 229,6 mil da 3º série.

“Alcançamos números relevantes na última edição do Saeb. Sabemos que a pandemia impactou na aprendizagem dos nossos estudantes, além de aumentar o risco de evasão e abalar a saúde emocional. Este impacto é ainda maior nos casos dos estudantes mais vulneráveis. Assim, temos direcionado esforços para recuperar a aprendizagem dos alunos, estimulá-los a continuar os estudos e apoiá-los emocionalmente”, diz Rossieli.

A Seduc-SP tem como meta em 2021 liderar o Ideb em todas as etapas de ensino em 2021, como um reflexo da garantia da aprendizagem de excelência a todos os estudantes e o oferecimento de mais oportunidades para todos possam alcançar seus projetos de vida.

Saiba mais em: https://efape.educacao.sp.gov.br/mobilizacaosaeb/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *