Vereadora osasquense discute assédio moral durante sessão na Câmara

Durante a 20ª Sessão Ordinária de 2021, realizada na última terça-feira (31), os vereadores inscritos na Ordem do Dia, puderam apresentar na Tribuna seus projetos e ações no parlamento.

Na oportunidade a vereadora Juliana da Ativoz (PSOL) abordou como o assédio moral tem provocado transtornos na saúde emocional do trabalhador e se referiu ao “Setembro Amarelo”, que é o mês de combate ao suicídio. A parlamentar decidiu abordar o assunto porque tem recebido denúncias de assédio e lembrou que há leis municipais que penalizam o assediador.

“Estamos encorajando alguns servidores que tragam essa situação a público para que a gente possa corrigir esse problema que é muito sério. Não só por fazer o papel do contra, mas porque precisamos colocar em prática essas leis que são tão importantes”, comentou a parlamentar.

A Lei nº 3.959, de 1º de setembro de 2005, diz que os servidores públicos municipais estão sujeitos a penalidades administrativas, caso haja assédio moral nas dependências de qualquer setor da Administração Municipal. Esta lei foi regulamentada em 2010.

Bolsa de estudos

Já o vereador Josias da Juco (PSD) apresentou um programa desenvolvido pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) e por entidades parceiras, que visou a entrega de 77 bolsas de estudos para jovens osasquenses em situação de vulnerabilidade social.

“Fiquei bastante emocionado. Participei de uma sessão online para a entrega de bolsas para esses jovens e, juntando forças, nós demos oportunidades para eles”, comentou Josias. “Que isso sirva de exemplo para outras empresas da nossa cidade, para que elas também possam também dar mais oportunidades para nossos jovens”, completou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *