Vôlei Osasco prepara festa de despedida para Carol Albuquerque neste sábado

Carol Albuquerque joga vôlei desde os nove anos de idade. Começou na escolinha em Porto Alegre, sua cidade natal. Aos 16 chegou a São Paulo cheia de sonhos. Dois anos depois, disputava a primeira Superliga. Em 27 anos de carreira esportiva, a levantadora construiu uma história que inclui uma medalha de ouro olímpica e dois títulos nacionais. Neste sábado (27), a atleta de 43 anos encena o último ato dessa história vitoriosa. O palco será o ginásio José Liberatti, onde viveu muitas emoções vestindo a camisa de Osasco, clube que defendeu por mais tempo na carreira. A convite do técnico Luizomar, ela está escalada para a partida entre Osasco São Cristóvão Saúde e São Caetano, às 19h, válida pela penúltima rodada do returno da Superliga 20/21. O Sportv 2 transmite a despedida de Carol.

“Estou muito feliz e ansiosa com essa oportunidade de fazer esse jogo despedida em Osasco, que é a minha segunda casa, o clube que mais defendi e com o qual mais me identifico. Não vejo a hora de chegar sábado, vestir a camisa e entrar em quadra. Estou ansiosa e sei que vou ficar nervosa na hora. Acho que vai ser uma emoção parecida com uma estreia em um time, quase como se eu fosse uma novata. Pena mesmo é não ter a torcida na arquibancada. Eles são o coração dessa equipe e seria demais receber essa energia uma última vez. Mas é importante manter o distanciamento nesses tempos de Covid e sei que eles estarão vibrando de suas casas”, afirma Carol, que treina com o time nesta quinta-feira (25) e sexta (26).

O última partida oficial de Carol Albuquerque foi em março, pelo Paok, da Grécia. A aposentadoria foi confirmada em um post nas redes sociais, sem alarde, mas Osasco não deixou passar em branco. “Quando o pessoal do Sportv comentou sobre isso na transmissão de um jogo. Na mesma hora recebi uma ligação do Luizomar e do Beto (Ópice, gerente de marketing do clube), dizendo que história é essa? Você vai fazer um jogo despedida em Osasco. Topei na hora. Estou na maior expectativa”, comenta a levantadora, que vai reencontrar, além do treinador e sua comissão técnica, atletas que já atuaram ao seu lado na equipe osasquense por vários anos, como Camila Brait, Bia e Tandara.

Carol, ao lado de Tandara, recebe VivaVôlei (João Pires/Fotojump)

“A Carol é uma jogadora muito identificado com Osasco e uma pessoa muito bacana. Tive o prazer e a honra de ser seu treinador durante muitas temporadas e sei o quanto ela gosta do nosso clube e da nossa cidade. Nós não poderíamos deixar esse momento de encerramento de sua carreira como atleta passar em branco e estamos muito felizes em poder proporcionar esse momento para ela”, comenta Luizomar. Além da participação na penúltima rodada do returno da Superliga 2002/21, a levantadora receberá homenagens em quadra.

A partida deste sábado pode ser considerada como a quinta passagem de Carol Albuquerque em Osasco. Sua história com o clube começou na temporada 2000/01 e durou dois anos. No retorno, a levantadora participou da conquista da Superliga em 2004/05, seu primeiro título nacional, e renovou para o ciclo 2005/06. A terceira passagem foi a mais longa, da temporada 2007/08 a 2010/11, com direito ao segundo título nacional, na Superliga 2009/10. A última passagem foi entre 2016/17 e 20017/18, quando seguiu para jogar no exterior.

Além de duas Superligas, Carol conquistou uma Copa Brasil, dois Sul-Americanos e cinco títulos do Campeonato Paulista. Entre os principais momentos de suas passagens pela equipe osasquense, está o fato de, como capitã, ter levantado a taça de campeã da Superliga 2009/10, quando o Sollys/Nestlé derrotou o Rexona-Ades, no ginásio do Ibirapuera, por 3 sets a 2. Ainda em 2010, ela foi eleita a melhor levantadora do Sul-Americano de Clubes (campeã) e do Mundial de Clubes (vice-campeã).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *