Novembro Azul: entenda o diagnóstico e cuidados do câncer de próstata

Campanha conscientiza sobre cuidados preventivos do câncer de próstata. Exames devem ser realizados anualmente em homens com mais de 50 anos

A campanha Novembro Azul é uma importante aliada à conscientização quanto à saúde do homem, especialmente em relação ao câncer de próstata, pois mobiliza a divulgação de informações sobre prevenção, diagnóstico e tratamento.

A proposta nasceu na Austrália em 2003 com um movimento que buscava informar, conscientizar e chamar a atenção sobre prevenção, diagnóstico precoce e tratamento de patologias que acometem a população masculina, sendo que o câncer de próstata sempre foi central na proposta.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) são 65 mil novos casos por ano e aproximadamente 15 mil óbitos devido ao câncer de próstata, o segundo mais comuns entre os homens.

Quais os sintomas do câncer de próstata?

A campanha Novembro Azul é particularmente importante devido à ausência de sintomas no início do câncer de próstata, dificultando um diagnóstico precoce baseado apenas na investigação de sintomas.

Mesmo quando os sintomas começam a surgir eles são similares aos enfrentados pelos pacientes com crescimento benigno da próstata, como dificuldade para urinar, alta frequência urinária durante o dia ou à noite e diminuição do jato de urina.

Em casos mais avançados os sintomas incluem dor óssea, sintomas urinários severos, sangue na urina, insuficiência renal e infecção generalizada. 

Uma forma de os pacientes descobrirem o câncer de próstata precocemente é iniciar os exames periódicos na idade indicada, especialmente quando há fatores de risco, como:

  • pacientes com mais de 50 anos, faixa etária com maior incidência e mortalidade em decorrência da doença;
  • familiares de primeiro grau, como pai e irmãos, com câncer de próstata antes dos 60 anos;
  • excesso de gordura corporal, como sobrepeso ou obesidade;
  • hábitos alimentos ou um estilo de vida pouco saudável (tabaco, bebidas alcoólicas e sedentarismo); 
  • exposição química, como devido ao trabalho em indústrias química, mecânica e de transformação de alumínio, exposição ao arsênio, aos hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPA) e outros.

Identificar se faz parte do grupo do risco e iniciar uma assistência médica preventiva é fundamental no diagnóstico precoce do câncer de próstata e melhores chances de cura no tratamento oncológico.

Como é feito o diagnóstico e tratamento?

Dadas as características do câncer de próstata, a detecção precoce é essencial. Os principais exames solicitados para o diagnóstico incluem:

  • dosagem de PSA: exame de sangue que identifica os níveis do antígeno prostático específico, no entanto, não deve ser considerado isoladamente, pois mesmo pacientes com tumores malignos podem não apresentar alteração significativa;
  • toque retal: o exame de toque permite identificar a presença de nódulos ou tecidos enrijecidos na região da próstata, viabilizando o diagnóstico precoce da doença. Trata-se de um exame rápido e indolor;
  • exames radiológicos: exames de radiologia como tomografia computadorizada e ressonância magnética também permitem a visualização, bastante detalhada, das estruturas da próstata, permitido identificar a presença de nódulos. Esses exames podem ser solicitados caso haja alteração na dosagem de PSA ou no toque retal.

Apesar desse conjunto de condutas, apenas a biópsia dos tecidos pode confirmar que se trata de um tumor maligno. O procedimento para retirada da amostra é feito com auxílio do ultrassom, podendo causar desconforto e presença de sangue na urina dos dias posteriores.

Caso o câncer de próstata seja diagnosticado precocemente há opções de tratamentos menos invasivos e com maiores chances de sucesso.

Apenas após uma avaliação do oncologista quanto às particularidades do caso poderá ser definido o tratamento ideal considerando o quadro do paciente, estágio do câncer e outros fatores. Algumas condutas incluem:

  • doença em estágio inicial: cirurgia, radioterapia e acompanhamento oncológico;
  • doença localmente avançada: combinação de radioterapia ou cirurgia com o tratamento hormonal;
  • doença metastática: terapia hormonal.

No entanto, apesar dessas possibilidades apresentadas pelo INCA, a definição do tratamento oncológico sempre deve considerar as particularidades do caso.

Qual a importância da campanha Novembro Azul?

O câncer de próstata é uma doença séria e com elevada mortalidade entre os homens, no entanto, sintomas da condição costumam manifestar-se apenas em casos mais avançados, dificultando o sucesso do tratamento oncológico.

Essa particularidade do câncer de próstata torna a campanha Novembro Azul ainda mais importante para informar e conscientizar sobre essas questões e incentivar a realização dos exames preventivos com frequência.

Recomenda-se que mesmo na ausência de sintomas, homens com fatores de risco realizem o exame anualmente a partir dos 45 anos e homens sem fatores de risco anualmente a partir dos 50 anos.

Mesmo com a evolução da Medicina no diagnóstico – como com exames radiológicos avançados -, agilidade dos laudos – como com a possibilidade da telerradiologia -, e inovações nos tratamentos – como a terapia hormonal -, é essencial que os homens façam sua parte com o acompanhamento médico regular. 

Deixe uma resposta