Osasco avança no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica

A educação na rede municipal de Osasco obteve nota 6,3 no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgado na terça-feira, 15/9, pelo Ministério da Educação. Essa é a maior nota obtida pelo município e apresenta o avanço na educação municipal. Em 2013, o município registrou a nota 5,2. Em 2015, chegou a 5,9, em 2017 alcançou a nota 6,1 e, agora, atingiu 6,3, referente à avaliação dos primeiros anos do Ensino Fundamental.

O IDEB é um indicador de desempenho da educação brasileira divulgado a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), autarquia do Ministério da Educação (MEC). O índice foi criado pelo governo federal para medir a qualidade do ensino nas escolas públicas.

A Educação é um dos pilares da administração pública. Em menos de quatro anos foram construídas e entregues 10 novas creches. Além disso, a Fito zona Sul passou por reformas e reestruturação para abrigar o “Mundo da Criança”. O mesmo acontecerá com a Fito zona Norte, onde as obras estão em fase final para acolher o “Mundo da Criança”.

O diferencial do Mundo da Criança na Fito zona Norte será sua capacidade para abrigar 1,3 mil alunos, transformando-se na maior creche do país. Os investimentos em Educação também envolvem a distribuição de uniformes de verão e de inverno, inclusive, para os alunos matriculados em creches; distribuição de kits de material escolar; disponibilização de transporte escolar para alunos com deficiência, e a valorização dos profissionais, por meio do Plano de Carreira do Magistério.

Mesmo com as aulas suspensas por conta da pandemia do coronavírus, a Prefeitura disponibilizou a plataforma “Estude em casa”, que oferece farto e variado material para os alunos continuarem a se atualizando. Para atender alunos com dificuldades de acesso à internet, a Prefeitura imprime e distribui o Caderno de Atividades.

A assistência aos alunos nesse período de pandemia ainda contou com distribuição de cestas básicas, considerando que a merenda é a principal refeição de muitos alunos. Posteriormente as cestas foram substituídas pelo Cartão “Merenda em Casa”, com crédito de R$ 70 mensais por aluno, para que as famílias adquiram os produtos que costumeiramente consomem.

Deixe uma resposta