Mais de 120 mil funcionários públicos de São Paulo poderão trabalhar em home-office de forma definitiva

Mais de 120 mil funcionários dos órgãos da administração direta, autarquias e fundações do município de São Paulo foram beneficiados por um decreto que permite o regime de teletrabalho em definitivo publicado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) no Diário Oficial desta terça-feira (15).

Desde a implantação do home-office, devido a pandemia de Coronavírus, a Prefeitura de São Paulo alega que houve redução de despesas, aumento da produtividade dos funcionários e ganhos ambientais por causa da diminuição dos deslocamentos dos funcionários em transportes coletivos ou veículos particulares.

Secretários, subprefeitos e outras autoridades devem apresentar, no prazo de 90 dias, um balanço da implantação do home office em cada órgão. Depois, a Secretaria Municipal de Gestão deve fixar uma portaria com as diretrizes do decreto.
Os servidores deverão cumprir, pelo menos, um dia de trabalho presencial. As avaliações de desempenho devem ser periódicas.

A Secretaria Municipal de Gestão também deve acompanhar as metas de redução de despesas projetadas com a implementação do regime de teletrabalho para os órgãos e entidades.

O regime de teletrabalho estabelece:

a fixação de metas para a realização dos trabalhos;
que o desempenho possa ser medido de forma objetiva;
não pode ter prejuízo ao funcionamento da unidade de trabalho e ao atendimento ao público;
o registro eletrônico de assiduidade e das atividades desenvolvidas;
o comparecimento periódico à sua unidade de trabalho sempre que houver convocação.

Deixe uma resposta