Osasco quer reabrir escolas de educação infantil como brinquedoteca

As escolas particulares de educação infantil de Osasco, estão se preparando para retornar as atividades presenciais mesmo sem a devida autorização do governo do Estado, que programa a retomada presencial das atividades a partir do dia 8 de setembro, para isso várias escolas do município estão incluindo em sua função atividades de brinquedoteca. A denúncia foi feita essa semana pelo Sindicato dos Professores de Osasco e Região (Sinprosasco).

“Escolas estão convocando os professores para comparecer e realizar atividades de recreação com as crianças. Isso é irregular”, escreveu o Sinprosasco em nota.

Segundo apurado pelo Notícia em Tempo a prefeitura de Osasco, por meio da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico, vem realizando encontros para discutir o retorno das escolas de educação infantil para atividades recreativas. De acordo com uma proprietária de escola que não quis se identificar “foi criado um ‘Alvará Covid’ que permite que as escolas reabram, para isso é necessário que a escola inclua em seu CNAE a atividade de recreação e berçário”.

“Essas escolas estão tentando burlar a lei e serão penalizadas judicialmente. Elas podem ser responsabilizadas pela família do aluno caso a criança seja contaminada nessas circunstâncias. O Sinprosasco está tomando medidas judiciais junto ao Ministério Público do Trabalho”, publicou o sindicato na última sexta-feira (31).

Nota na íntegra da Siprosasco divulgada nesta sexta-feira (31)

Apesar de nenhuma escola ser obrigada a aderir ou solicitar essa licença especial, donas de escolas dizem se sentir pressionadas a abrir por medo de perder mais crianças, já que estão com as atividades paralisadas desde março.

Toda essa manobra foi feita durante a gestão do ex-secretário do Turismo e Desenvolvimento de Osasco, Hamilton Rodrigues, que foi exonerado recentemente e substituído por Isabel Cristina Consoli Polito. Mesmo após a troca de comando na secretaria o tramite para reabertura das escolas de educação infantil seguiu inalterado.

Apesar disso, o prefeito de Osasco, Rogério Lins, foi as redes sociais nesta semana e disse que o retorno presencial das aulas na cidade só acontecerá com 100% de segurança, mas não informou se falava apenas da rede municipal ou também da particular.

O que diz a prefeitura de Osasco

A Prefeitura de Osasco informa que as aulas nas redes municipal e particular só serão retomadas quando houver 100% de segurança para alunos, professores e demais funcionários.

Enquanto isso não ocorre, a rede municipal manterá as atividades on-line e os cadernos de atividades.

As escolas particulares, que desrespeitarem as regras, correm o risco de perderem suas licenças de funcionamento. “A vida é a nossa prioridade”, afirma o prefeito Rogério Lins.

4 comentários em “Osasco quer reabrir escolas de educação infantil como brinquedoteca”

  1. A Federação das Escolas Privadas do Estado de São Paulo e o Sinepe Osasco e Sieeesp São Paulo, orienta todas as Escolas de Educação Infantil e Ensino Básico que devemos abrir os Estabelecimentos de Ensino, somente quando recebermos autorização do Governo do Estado de São Paulo, observando as Recomendações da Organização Mundial da Saúde. Enviamos um Protocolo ao Governo de São Paulo sobre volta as aulas. No Tocante as Escolas somente da Educação Infantil, é competência do Governo Municipal, que encarecemos seja observado as nossas recomendações, que enviamos ao Governo Estadual.

  2. Pingback: Prefeitura de Osasco nega retorno das aulas e diz que escolas que desrespeitarem as regras podem perder suas licenças - Notícia em Tempo

  3. Pingback: Prefeitura de Osasco autorizou reabertura de brinquedotecas, confirma ACEO - Notícia em Tempo

  4. É o que dá o estado liberar as atividades e não retornar as escolas de educação infantil. No primeiro momento, os pais começam a retornar as atividades e tem de apelar as gambiarras (creches clandestinas, mães crecheiras, babás improvisadas e espaços de recreação) pois não podem contar com o ambiente seguro e educativo das escolas.

    As escolas começam a ser pressionadas “por que a escola está fechada se a casa de brinquedos está autorizada?”… “Ballet no clube pode, na escola não?”… “Aula de inglês pode, na escola não?”

    As recreações e espaços de cursos livres estão abertos e autorizadas a funcionar.

    Resultado óbvio, as escolas começam a incluir essas atividades no CNAE e agora vão oferecer cursos livres.

    O Governo e o SIMPRO precisam entender que escola de educação infantil é atividade essencial para quem retornou a atividade laboral. Nunca deviam ter sido fechadas para os filhos dos médicos por exemplo (no Einstein e nos países desenvolvidos, não fechou). Se não tem escola infantil, não tem como retornar atividade econômica sem por crianças em risco. Acordem. Fechem tudo ate a pandemia diminuir ou liberem a educação infantil. O resto é hipocrisia e safadeza política.

Deixe uma resposta