Mulheres grafitaram mais de 5 mil m² de muros no centro de Itapevi

A pandemia do novo coronavírus não tem sido obstáculo para a imaginação, a criatividade artística e o empoderamento feminino em Itapevi. Com o objetivo de valorizar os trabalhos das mulheres e ainda revitalizar o Centro da cidade, a Prefeitura de Itapevi vai promover o Festival de grafite, West Side Gallery II, no Corredor Oeste.

Entre os dias 27 e 31 de julho, 16 artistas, todas mulheres – dentre elas moradoras da cidade e da Grande São Paulo -, irão ajudar na revitalização da região central com artes urbanas e cheias de significados.

O resultado é que Itapevi ganhará um dos maiores corredores de arte urbana da região metropolitana do estado de São Paulo e do Brasil com 5.074 m² de pintura em grafite, somando os dois lados dos muros da Avenida Feres Nacif Chaluppe (Corredor Oeste), no Centro.

A segunda edição do festival, além de ser uma forma de valorizar a figura da mulher, traz em seu o discurso da Girl Power (Poder Feminino), que significa fortalecer o feminismo.

Com a intenção de dar continuidade às intervenções artísticas pelo município, o objetivo do festival é seguir recuperando as paredes deterioradas ou pichadas. Serão grafitados 1.290,35 m² (435 metros lineares) nos muros no Corredor Oeste, deixando uma tela em branco para cada artista realizar o seu trabalho.

Desta vez, os grafites serão pintados na Avenida Feres Nacif Chaluppe no trecho entre a delegacia de polícia e a parada de ônibus, próximo da estação de trem da CPTM Itapevi. O intuito da iniciativa é também divulgar a arte do grafite para a população, agregar o patrimônio histórico e cultural de Itapevi, estimular o senso de pertencimento da população e promover manifestações artísticas e defender os direitos e as conquistas realizadas pelas mulheres ao longo da história.

Os estilos serão variados, entre figurativo e abstrato/geométrico. As pinturas serão realizadas com o material típico do grafite spray e também tintas látex.

As artistas participantes são Ana Mandalas, Tuka, Walléria, Letícia Oliveira, Beth Graffiti, Ju Vomero, Jess Vieira, Aline Awel, Ziza, Afolego, Kelly Reis, Carol Murayama, Jady Salvático, Gi Favetta, Mônica Barbosa e Chermie.

Itapevi conta com alguns nomes locais, como a artesã Ana Mandalas (Ana Carolina Américo do Prado), que tem 33 anos e é nascida e criada na cidade de Itapevi.

Tuka é outra moradora de Itapevi. Tem 32 anos e começou com o grafite em meados de 2003. Estudou Desenho Industrial (Design), onde obteve seu primeiro contato com a área tipográfica, e depois licenciatura em Artes Visuais. Atualmente, além de artista, é arte educadora e orientadora em projetos sociais, oficinas e eventos culturais.

Outro destaque é Walléria, nascida e residente em Itapevi. Tem 24 anos e é publicitária. Apaixonada por letras, ela tem mergulhado nesse mundo. Ela quer impactar as pessoas por meio da sua arte com frases positivas.

Além das artistas locais, o Festival reúne nomes consagrados e conhecidos no circuito nacional e internacional, como Ziza. Há 14 anos, a grafiteira Ziza intervém em diversas cidades do Brasil e fora dele com suas obras que destacam a estética feminina negra e suas múltiplas faces.

Ziza possui traço e narrativa únicos. Já expôs em diversos espaços importantes na cidade e também já recebeu convites para intervenções artísticas nas cidades de Berlim, na Alemanha, e Washington D.C., nos Estados Unidos. É uma das promissoras artistas brasileiras do momento.

Com aproximadamente 40 mil seguidores no Instagram, Jady Salvático é mais uma mulher que vai reforçar o time de artistas em Itapevi. Ela é paulistana, designer e artista de lettering (artes de desenhar letras). Se aproximou da tipografia na faculdade e com o tempo passou a desenhar as letras manualmente, em diferentes superfícies. Desde então não parou de desenhar suas letras, que são quase sempre em preto e branco.

Na mesma linha, com mais de 28 mil seguidores no Instagram, Carol Murayama é uma das 16 mulheres que irão brilhar nos muros da West Side Gallery. Ela é uma artista paulistana de 32 anos, formada em design de moda e atualmente trabalha com tatuagem e realiza uma série de murais. Misturando algumas técnicas, mesclando o colorido e preto e branco, canetas, tintas e pincéis como base em suas criações, Carol tem o desafio de usar a criatividade para transformar ambientes ares mais alegres, descontraídos e fora do senso-comum.

As artistas passarão uma semana empenhadas nos seus desenhos. Para esta edição, serão trazidas artistas mulheres da nova geração, revelando novos talentos no cenário da arte urbana brasileira. Serão cinco artistas locais e 11 residentes na Grande São Paulo.

A idealização do projeto é da Prefeitura com patrocínio da empresa Código Engenharia e curadoria e produção do Instagrafite.

Junto à pintura do Corredor Oeste, a Prefeitura irá adicionar a arte urbana no Skate Park Itapevi, maior complexo para prática deste esporte na região.

“Esta iniciativa da Prefeitura é fundamental para a valorização da arte e do lazer para a cidade de Itapevi. Continuar o Corredor da West Side Gallery é fortalecer um espaço cultural para cidade, com uma galeria ao ar livre, democrática e gratuita. A Prefeitura está possibilitando que a cidade tenha novos pontos de encontro, de esporte e de cultura e junto com a nossa curadoria, trazendo novas artistas para que os moradores possam conhecer e seguir”, diz Marina Bortoluzzi, curadora, cofundadora e sócia do Instagrafite.

Sobre a West Side Gallery

Uma das maiores galerias de arte urbana do Brasil, a West Side Galery, no Corredor Oeste, no Centro, é um marco artístico. Na primeira etapa foram pintados 3.784 m² (630 metros lineares), com grafites em diversos estilos. A pintura aconteceu no sentido bairro/Centro, com início próximo à Praça Carlos de Castro e do ponto de táxi e término na rotatória da Cohab.

Para ter uma ideia de comparação, a obra de Itapevi já é quase quatro vezes maior que o Beco do Batman, que fica na Vila Madalena, na capital. No total, 18 artistas convidados pintaram essa galeria, entre eles, nove foram moradores do município. A obra revitalizou uma área que antigamente era deteriorada.

1 comentário em “Mulheres grafitaram mais de 5 mil m² de muros no centro de Itapevi”

  1. Bom dia!!
    Passando pelos muros em Itapevi pude ver a beleza do grafite.
    Gostaria de conhecee e saber como ter este trabalho.
    Segue contato 11985700251 selma obrigada

Deixe uma resposta