Ex-PM e GCM acusados de chacina em Osasco e Barueri devem ser julgados hoje por 17 mortes

Ex-cabo Victor Cristilder e guarda-civil Sérgio Manhanhã são acusados de integrar grupo que matou vítimas em Osasco e Barueri para vingar assassinatos de policial militar e GCM. Eles tiveram júris anteriores anulados e, por isso, deverão ser julgados novamente nesta segunda (22) em Osasco.

O ex-cabo da Polícia Militar (PM) Victor Cristilder Silva dos Santos, de 37 anos, e o guarda-civil municipal Sérgio Manhanhã, de 48, devem começar a ser julgados, na manhã desta segunda-feira (22), pela maior chacina da história do estado de São Paulo, em 2015.

O novo julgamento do ex-PM e do agente da Guarda Civil Municipal (GCM) de Barueri está marcado para ocorrer a partir das 10h no Fórum Criminal de Osasco, na região metropolitana. Os júris anteriores que condenaram os réus pela mesma chacina foram anulados pelo Tribunal de Justiça (TJ), que marcou um novo e único júri para ambos. A previsão da Justiça é a de que esse outro júri popular possa durar até quatro dias.

O ex-PM Victor Cristilder e o GCM Sérgio Manhanhã são acusados de 17 mortes na maior chacina do estado de São Paulo, em 2015 — Foto: Reprodução/TV Globo

Cristilder e Manhanhã alegam inocência, mas estão presos preventivamente acusados de matar a tiros 17 pessoas e ter ferido outras sete na noite de 13 de agosto de 2015 em Barueri e Osasco. Câmeras de segurança gravaram as execuções que foram cometidas por homens armados e encapuzado.

Segundo o Ministério Público (MP), o ex-PM e o GCM integravam esse grupo de extermínio, que era formado por agentes das forças de segurança pública. Ainda de acordo com a acusação, os atiradores executaram as vítimas para vingar os assassinatos de um policial militar e de um guarda-civil, respectivamente nos dias 8 e 12 de agosto de 2015.

Com informações do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *